A história de cada um e as histórias de todos nós

Por muito tempo ouvi falar do Neil Gaiman, principalmente como o criador da série de quadrinhos Sandman. Fui uma ardorosa leitora de quadrinhos, antes que eles alcançassem o prestígio atual, e, talvez esse fato tenha criado minha resistência a alguns autores, como Gaiman. A indiferença caiu quando abri o intrigante Os filhos de Anansi(Intrínseca, R$ 39,90), que narra as descobertas do pacato Charlie que não sabia ter um irmão nem que o pai, que morre no palco de um bar de karaokê, era um deus da mitologia de Gana.

O texto recheado de referências à cultura pop contemporânea de Gaiman conforta o leitor – e Charlie – na viagem até o universo das lendas fantásticas. Spider, que herdou do pai o poder de se assumir a forma de uma aranha, é carismático como um astro de rock. O livro é nitidamente dirigido a um público jovem, em que o narrador onisciente assume um tom de professor de Ensino Médio – que “passa a matéria”, de maneira leve, divertida, mas nem por isso superficial. Ao contrário.

92ccb974-fbe5-40b5-9491-5989f6257138Densidade semelhante é encontrada no segundo volume da sérieEra uma vez na França – o voo negro dos corvos (Galera Record, R$ 55), a graphic novel de Fabien Nury e Sylvain Vallée, inspirada na vida de Joseph Joanovivi, um sucateiro judeu que fez fortuna vendendo armas para nazistas e para a Resistência francesa durante a Segunda Guerra Mundial. O personagem é fascinante por sua absoluta falta de ideais admiráveis. Cuida da família, mas não hesita em renegar suas origens, escapando da deportação para campos de concentração, graças a seus bons contatos. Em 1949 acabou preso como colaboracionista. Morreu em 1965, três anos depois de cumprir pena. Publicada em seis volumes, lançados a cada ano a partir de 2007, a série ganhou prêmios da crítica especializada.

34e5ee42-b8cb-4133-b673-60c48be234fcCreer & destruir Os intelectuais na máquina de guerra da SS nazista (Zahar, R$ 79,90) fala sobre a mesma época, buscando compreender os motivos que levaram cerca de 80 homens de alta cultura se engajarem na disseminação da ideologia do Terceiro Reich. A participação desse grupo, composto por graduados em Economia, Direito, Filosofia, História e Linguística, em importantes funções da elite nazista é dissecada pelo francês Christian Inagrao. Além de garantirem o embasamento teórico para a política de extermínio de Hitler, eles coordenaram o planejamento de operações que levaram à eliminação de judeus, ciganos, doentes mentais e todos os que eram enquadrados na abrangente noção de “raça inferior”. O mais incômodo na leitura do contundente estudo é a aparente falta de valores morais de pessoas tão sofisticadas, que aderiram a uma causa ainda hoje tão perturbadora para a sociedade alemã.

Capa Mentiras de Verão AG.cdrFruto dessa geração que carrega a culpa pelo pior conflito do século XX, o alemão Bernhard Schlink não se refere à Segunda Guerra nos personagens dos contos reunidos em Mentiras de verão (Record, R$ 35). Ambientados em diferentes locais da Alemanha e dos Estados Unidos, os contos têm como tema comum as ilusões a que nos agarramos, em busca de um sentido para a vida, evitando a solidão através de paixões e dos mais diferentes laços familiares. O mesmo apego demonstrado pela protagonista de Sexo (Record, R$ 25), primeiro romance da antropóloga Mirian Goldenberg, uma estudiosa da sexualidade do brasileiro. O curto texto, quase um monólogo teatral, mostra à perfeição a angústia da mulher que tece fantasias sobre a continuidade de um relacionamento iniciado – ou não – depois de uma noite de sexo casual.

Anúncios

Sobre Olga

Para alguns, existem deuses e religiões; minha devoção se dirige à literatura. Assim surgiu este blog, um dos milhões que nascem a cada segundo no planeta. Sem pretensões, só para compartilhar um dos prazeres solitários mais subversivos e incompreendidos de que dispomos.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s