Leituras joviais para as férias

Dom, 15 de Julho de 2012 19:50
E-mail Imprimir PDF

Neste fim de semana, aparentemente, vai ter inverno no Rio.  Temperatura tão agradável – principalmente para os felizardos que estão em férias, como boa parte dos estudantes. Por isso, a coluna desta semana é dedicada aos jovens, que vêm sendo o xodó da indústria do livro nos últimos anos.

• Clássico – O Conde de Monte Cristo (Zahar, R$ 49,90) ganhou uma edição de bolso, caprichadíssima e com ilustrações. A primeira publicação no Brasil foi em 1845, no Jornal do Commercio, em capítulos diários, que somam mais de 1.600 páginas.  Todos os elementos épicos e melodramáticos estão na saga de Edmond Dantès, um homem que cai em desgraça pela ingenuidade de confiar num falso amigo. Obstinado, ele consegue superar todos os obstáculos para vingar-se. Prende a atenção do leitor por contar com um suspense perene sobre os métodos e as surpreendentes viradas de enredo, característicos do folhetim.

condedemontecristo
• Biografia – A trajetória de David Grohl, desde os primeiros passos como músico, passando pela carreira como baterista do Nirvana até transformar-se em líder do Foo Fighters, é uma das mais felizes histórias de reinvenção do rock’n’roll.  This is a Call, a Vida e a Música de David Grohl (Leya, R$ 39,90), de Paul Brannigan, mostra como foi superar o suicídio de Kurt Cobain através do envolvimento em outros projetos musicais com grupos como o Queens of Stone Age, antes de montar o Foo Fighters.

thisisacall
• Disse-me-disse – A intriga e suas consequências são popularmente associadas às mulheres de todas as idades, muito embora Shakespeare tenha usado um homem (Iago) para semear a maledicência  pela Veneza de Otelo. Conselho de Amiga (Novo Conceito, R$ 29,90), de Siobhan Vivian, conta como o aniversário de 16 anos de Ruby pode tornar-se uma decepção por conta das fofocas de amigas venenosas que não deixam a aniversariante ter autonomia nas próprias decisões.

conselhodeamiga
• Boy lit – William Sutcliffe é um dos que seguem a cartilha de Nick Hornby, o inglês que encantou o mundo com romances sobre homens contemporâneos, que cultuam o pop, o futebol e as mulheres. Sutcliffe, como Hornby, não escreve especificamente para jovens, mas cria personagens sem compromisso com a maturidade, típica dos rapazes dos tempos atuais. No divertido  Eu, minha (quase) namorada e o guru dela (Record, R$ 46,90), o estudante londrino Dave, de 19 anos, sai em mochilão pela Índia, acompanhando a namorada do melhor amigo, por quem sente alguma atração até descobrir que a garota é um tirana.

euminhaquasenamorada
• Policial  –  Todas as coisas que já fiz (Rocco, R$ 44), de Gabrielle Zevin. Numa Nova York futurista onde chocolate e café são drogas ilegais e há racionamento de água é o pano de fundo deste thriller distópico, apontado pela crítica como um dos melhores romances juvenis de 2011. A filha do chefão do crime se apaixona pelo filho do promotor da cidade e é suspeita do envenenamento de seu ex-namorado por chocolate fabricado por sua própria família mafiosa.

Todas-As-Coisas-Que-Eu-Ja-Fiz
• Gótico – A onda vampiresca conquistou até a “princesa” Meg Cabot – que já tem investido em literatura mais “adulta”, leia-se, com cenas eróticas para apimentar os romances que ela cria. Em Mordida (Galera Record, R$ 34), segundo volume das aventuras da roteirista Meena Harper, a heroína, que já namorou um vampiro,  é contratada pela Guarda Palatina, uma unidade secreta do Vaticano que caça demônios.

amordida
• Romance – Imigração, exploração de estrangeiros em um novo país e o amor são alguns dos temas abordados por Vaclav e Lena (Intrínseca, R$ 29,90), de Haley Tanner.  O casal de protagonistas se conhece no curso de inglês para estrangeiros. Ambos são russos e adaptam-se à vida norte-americana. A separação involuntária os faz chegarem à idade adulta sonhando com o reencontro, numa trama envolvente e romântica.

vaclav

Anúncios

Sobre Olga

Para alguns, existem deuses e religiões; minha devoção se dirige à literatura. Assim surgiu este blog, um dos milhões que nascem a cada segundo no planeta. Sem pretensões, só para compartilhar um dos prazeres solitários mais subversivos e incompreendidos de que dispomos.
Esse post foi publicado em Leitura, Literatura, Música, Romance e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s